O CRISTÃO, O SÃO JOÃO, E A COMIDA



Alguns irmãos se perguntam se podem comer milho ou comida feita com ele, pelo São João a festa pagã. Isso todo ano faz com que muitos crentes fiquem confusos. Não quero, aqui, exaurir o tema, pois não tenho essa capacidade, mas apenas explicar que, se alguém fica confuso com isso, que isso sirva para nortear sua mente, na palavra de Deus.
Em primeiro lugar, devemos ter em mente que os alimentos foram feitos por Deus para a manutenção do homem, e que o milho, naturalmente, é dessa época. Isso não quer dizer que se eu sendo cristão, como essas comidas pelo São João, peco. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Pecaria se eu comemorasse como as pessoas sem Jesus fazem. Se eu como milho, não brinco, não danço, e preciso me alimentar, porque estou pecando? A comida, no caso, o milho, muito antes do São João, já existia. A festa desse ídolo é que foi estabelecida exatamente na época da safra de milho, e foi aproveitada como um alimento específico. Se fosse verdade isso, ninguém comeria galinha de penas pretas, ou mesmo feijão, pois essas comidas também são usadas nos sacrifícios de certas religiões.
Foi por causa disso que Paulo, nos capítulos 8-10 de 1 Coríntios, aconselha os irmãos não comerem a comida se alguém disser que ela foi sacrificada aos ídolos, por causa da consciência do incrédulo, que pode se escandalizar pelo fato do cristão, mesmo avisado da origem do alimento, ainda assim come. Esse princípio deve ser usado também aqui. Não posso aceitar comida feita por alguém que eu sei que é um idólatra, e brinca o São João, mas se um cristão faz uma canjica e dá a outro, lógico que essa comida é santificada, foi feita por um servo de Deus e que não brinca essa festa, ou seja, não é “oferecida” a nenhum ídolo e também ao que está por trás dele, os demônios, como Paulo explica. Veja o que ele diz:


E, se algum dos infiéis vos convidar, e quiserdes ir, comei de tudo o que se puser diante de vós, sem nada perguntar, por causa da consciência.
Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; porque a terra é do Senhor, e toda a sua plenitude.
Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. Pois por que há de a minha liberdade ser julgada pela consciência de outrem?”

1 Corintios 10.27-29.


Se eu sou convidado, a época de São João, à casa de alguém não cristão, e o anfitrião me disser que aquela comida é de São João, dando a entender que sou cristão e não devo comer, eu não comerei, pois escandalizarei ele. Não que comer seja pecado, pois eu sei que o ídolo nada é, mas o anfitrião pode se escandalizar comigo. É melhor não comer mesmo. No entanto, em minha casa, posso comer à vontade, pois não adoro João, e dou graças a Deus pela comida que ele nos deus, pois foi ele que fez ela. Comprem milho, façam comida, e comam à vontade. A comida não é de João, mas de Jesus. A não ser que você esteja numa festa onde há quadrilhas juninas. Dessa forma, querendo admitir ou não, você estará comemorando a festa. O cristão não faz isso.
Dessa forma, se o problema é comida, e você só tem ela,e não é oferecida aos ídolos, coma, dando graças a Deus. O mundo come em honra a João, nós, a JESUS CRISTO.