quinta-feira, 29 de abril de 2010

QUE BREGA MAIS BREGA

Quando escuto certos bregas- estilo vigente-, fico pensando nas letras vazias da maior parte deles. Não dizem nada que se aproveitem, mas fazem só apologia à prostituição, vioência, barbárie, coisas vazias.Pior que isso é quem escuta, quem gosta dessas letras tão mal feitas . Não que todos sejam de má qualidade. Há aqueles que são apreciáveis (para quem gosta), mas a maioria não vale a pena. O pior de tudo é a pessoa ter de escutar a pulso, quando se tem um vizinho mal educado que coloca o som nas nuvens. Parece que quer obrigar a gente a gostar do que ele gosta.
Imagine o que é um brega com uma letra dizendo que vai ser gentil quando a garota for virgem; ou aquele que diz que traiu o amigo, mas que não pôde evitar. Isso para falar dos mais "certinhos". Absurdo. A maioria deles beira à depravação, ao vulgar. Se fosse uma música da MPB, talvez ninguém discordasse delas,  pode ser que gostassem - se não todos, pelo menos alguns-, pois geralmente têm letras mais aceitáveis. Além do mais, muitas vezes, não existe nem ritmo nem mesmo concordância nas letras deles. Poderia, pelo menos, haver isso. Com certeza uma pessoa que goste de coisa de qualidade não gosta desse tipo de música.Seria bom que esses compositores, não todos, tivessem mais conhecimento de ritmo musical, de português, o básico. Esses bregas seriam mais ouvidos.