NEFASTA TRAVESSIA

Foi no primeiro dia de aula. Cheguei à UFRPE às sete horas para a aula inaugural, que seria no prédio principal, no auditório de lá. Informaram-me, porém, que seria no CEGOE. Claro que me informaram errado. Seria no primeiro prédio. Bem, eu estava no CEAGRI II; e agora, que fazer?,pensei. Não estava a fim de ir pela avenida, muito esquisita. Lembrei-me que havia uma estrada por dentro da RURAL, uma que levava direto para o CEGOE, do outro lado. Era próxima de um Restaurante bem conhecido por ali, o Mesa Farta.

Que péssima ideia a minha! Depois que resolvi ir vi a besteira que fiz. Aquela estrada era simplesmente inviável para andar só. Escura. Apenas uma estrada de barro. Já que estava lá, resolvi prosseguir. Cada vez que fui andando, mais fui ficando desconfiado com a estrada. O coração batendo rápido. Se aparecesse uma cobra, ou um morcego, ou alguma criatura esquisita? Ninguém sabe. Estava muito feia. Parecia que eu iria pegar na escuridão. Não enxergava nada à minha frente. Fui caminhando. Queria chegar logo, mas parecia que a estrada se esticava como um elástico. E se viesse um carro? Não havia espaço para ele passar direito, teria que ficar bem na beira da estrada. Se eu caísse ali poderia me ferir gravemente. E lá fui eu andando. A pressa de chegar era enorme. Só pensava no CEGOE. Pensava que seria lá a aula inaugural. Nunca dei tanta graças a Deus por chegar vivo do outro lado. Aquilo parecia um limbo. Lembrei-me de Dante na Divina Comédia. Foi só uma impressão minha.

Quando cheguei por lá, no auditório principal, a aula inaugural estava pela metade. O Reitor falou o que tinha de falar, o pessoal do DCE deu o recado; depois houve uma apresentação de Candomblé transvestido culturalmente. O pessoal de Garanhuns falou alguma coisa referente à luta e às eleições que os dissidentes muito criticaram. Cada um tentou arregimentar apoio para o seu lado.Depois fomos levados de ônibus para nossa sala. Uma bela recepção com alguns professores, dentre eles o  Juan Pablo,  fiquei sabendo depois disso, a humildade em pessoa. Orgulho por ser espanhol de nascimento, de Burgos... E olhe que a Espanha é um dos menos desenvolvidos na Europa... Apesar do todo medo e cansaço, foi bom. O ano prosseguiu bem. Estava, então, no Reino das Letras, depois de um bom tempo no gueto desse sistema, que peneira insistentemente as areias já tão peneiradas.Conheci ótimos professores, como a professora Valéria, de Linguística, Rose, idem, Claudia Roberta,Morfologia, Fábio Andrade,Literatura, e outros. Enfim, comecei a me deliciar com a comida que eu mais gosto: sopa de palavras.