quinta-feira, 14 de novembro de 2013

A GATA SUMIU

Era uma gatinha linda, dessas amarelas. Apareceu lá em casa não sei como, acho que alguém perdeu ou levou ela e deixou perto de casa. As  meninas pegaram ela e deixaram-na  sala. Só bastou isso para a gata se acostumar e ficar em casa.
A gente não podia passar por ela, que ia atrás, pegando no pé, arranhando a gente, brincando com os objetos que achava, treinando caçadas. Ela parecia ficar triste quando a gente saía. Mas quando chegávamos, lá vinha ela atrás, para cima da gente, toda alegre.
Algumas vezes minha mulher tinha que tirar ela de cima da cama, de madrugada, pois a pimentinha vinha para a cama dormir também, provavelmente sentindo falta da mãe. Quando eu estava dormindo no sofá, a mesma vinha e ficava lá do meu lado. Manhosa toda. Até tiraram uma foto dela à mesa, tentando comer um pedaço de carne, pois as meninas acostumaram  ela a comer coisas diferentes da comida de gata que dávamos a ela. Mesmo tendo a comida dela, ao sentir o cheiro de carne ou outra coisa, lá vinha a gata miando. Só queria agora comida de panela, e  a dela ficava lá.
Até que um dia ela sumiu bem debaixo de nossos narizes. Nunca mais apareceu, cerca de cinco minutos ela foi levada não se sabe por quem. Apenas há suspeita da razão. desconfio que seja uma vizinha azeda, cujo marido faleceu há um tempo. Pode ser que tenha ficado infeliz e não aguente ver ninguém mostrar carinho para nem mesmo um animal; ou então a mãe do felino veio busca-la. Pode ser isso. O fato é que a gata deixou todo mundo triste com seu sumiço. Esse já é o quarto animal doméstico que perdemos em um ano. Veja só. Cachorro some, gato some. Acho que agora vou criar um rato de laboratório ou um hamister. Pode ser que não suma.