terça-feira, 15 de abril de 2014

SARDINHAS

   Nunca vou me acostumar com o descaso do governo em relação à falta de estrutura, o desrespeito ao povo, verificado nos terminais de ônibus, como os de Macaxeira e Paulista.
Quem precisa se deslocar sofre bastante com a precariedade deles, a falta, também, de uma boa infraestrutura nesse sentido, dando segurança ao usuário dos mesmos.
Num dia desses, deu pena ver as pessoas entrarem nesses ônibus que lá circulam. 23hoo da noite, e os ônibus partindo cheios, sem espaço para nada, nem uma agulha. Recolhe os ônibus, e o povo é que sofre. As pessoas vão penduradas, arriscando as vidas por causa da pressa de chegar em casa, já tarde da noite.
As mulheres, a maioria delas todas bem arrumadas, ficam esperando o ônibus com resignação. Elas são uma das que mais sofrem, pois muitas vezes são seviciadas por aqueles mais "atrevidos", mas precisam chegar em casa logo, pois além de enfrentarem uma longa fila, pessoas mal-educadas, que, por causa da vontade de se sentar em um  simples lugar, desrespeitam o semelhante. A ganância das pessoas em entrar no ônibus é grande demais, parece ser o último ônibus da vida delas, cada um empurrado o outro, algo irracional, pois não veem que quem está em sua frente também têm outro em frente de si, e não podem simplesmente passar por cima delas. Já não pensam isso.
Mas não pensem que o grande número de gente nos terminais a essa hora da noite, faz com que as empresas coloquem mais veículos para rodar; ao contrário, tem poucos deles nas linhas. Incrível como as pessoas vão penduradas, homem e mulher, nas portas, enquanto o motorista, apressado para largar, fecha as portas do ônibus, apressado.
Creio que o mesmo número de gente que chega às sete horas, é o número que viaja nesse horário. Então não deveria diminuir o número de veículos, mas manter praticamente o mesmo número, creio. Infelizmente, é assim que está o transporte público, até que ninguém mais aguente e faça alguma coisa, de modo que de alguma forma haja mudança, mesmo que tênue.
Em relação a isso, se o povo quebra um ônibus, são  chamados de violentos, mas esquecem que uma violência muito maior estão praticando contra a população, quando deixam que o transporte público chegue a esse ponto, e pessoas viajem como se fossem peixes entalados numa lata. Muita gente não percebe, mas é uma violência contra o povo, e merecem também ser responsabilizados. Até quando?