ERA UMA VEZ A RURAL


Era uma vez uma universidade chamada Rural, que ficava numa cidade chamada Recife. Era conhecida por ter cursos voltados para as áreas de pecuária e zootecnia, e alguns cursos de humanas. Mas também era conhecida por suas árvores viçosas, os pássaros cantantes, que esvoaçavam dia e noite por ela. Pela tarde, os estudantes ficavam horas e horas conversando debaixo das árvores frondosas. Dava gosto ver toda aquela diversidade de árvores lindas, e as frutas abundantes delas. O verde era sua característica. Linda universidade!
Até que, um dia, algumas pessoas acharam que não precisava ter tantas verde, e começaram a derrubar árvores e árvores, pensando fazer um bem; não percebiam que estavam deixando-a sem sua características que a diferenciavam de todas as demais. Ela foi ficando feia. Os pássaros já não cantavam mais, os animais, como tatus, saguis, cobras, entre outros pássaros lindos, não andavam mais por lá. Havia também inúmeros gatos e cachorros, tão amigos de todos os que frequentavam ela. As árvores tornaram-se uma meras lembranças, já não se viam estudantes pela tarde, conversando embaixo delas. A praça estava, agora, tão desfigurada. Os pássaros fugiram para outras paragens, os ninhos foram destruídos, e o progresso foi um algoz feroz. Só havia concreto, pedras e pedras, frias como gelo, sem vida, sem alegria, sem nada.
Dessa forma, foram tantas as mudanças, que a universidade ficou conhecida por outro nome, que melhor caracteriza, agora, o que ela tornou-se: A Desfolhada.
E todos ficaram muito tristes, por muitos e muitos anos.