quinta-feira, 29 de setembro de 2016

A CARTA DE ELIAS PARA O REI JEORÃO


No capítulo 21 do livro de segunda Crônicas, há um relato bem pouco falado sobre o rei Jeorão e Elias, profeta de Deus.
Jeorão foi filho de Josafá, um rei piedoso, que teve lindas experiências com Deus, e fez o que foi preciso para o nome de Deus ser glorificado. No capítulo vinte desse mesmo livro, há um lindo relato sobre uma vitória desse rei sobre vários povos. Mas vamos ao que interessa sobre Jeorão. Depois de fazer o que era mal aos olhos de Deus, entre essas coisas a morte covarde de seus irmãos, os quais matou de maneira cruel, fez muitas maldades nos oitos anos que reinou, ele e sua mulher, filha de Jesabel, fizeram coisas que enfureceram a Deus, até que derramou sua mão sobre esse rei ímpio. Um profeta mandou para ele uma carta. Era Elias. O profeta do Norte, enviou uma carta para o rei do Sul. E que juízos levou essa carta!
Nessa carta, o profeta cita as maldades desse rei, e dizia que ele teria uma doença terrível, a qual mataria ele depois de intenso sofrimento. Depois de um tempo, esse rei ficou doente, e essa doença foi tão terrível, que ele teve seus instestinos para fora. Foi algo de Deus só para ele. Não há relatos de nada parecido em toda a Bíblia. Só esse rei morreu disso. Embora muitos comentaristas queiram explicar que doença foi essa, não há pista alguma na Bíblia sobre isso.
Nos perguntamos como alguém tão piedoso como Josafá teve um filho tão mal, que imitou os pecados de Acabe e Jesabel, os quais fizeram terríveis coisas contra Deus e seu povo. A mesma natureza de sua mãe Jesabel, tinha a mulher de Jeorão. Mas ele mereceu o castigo de Deus, de acordo com seu pecado. Deus não é brincadeira. Um dia cobra cada pecado, cada erro feito, se não houver arrependimento.
E morreu Jeorão, amaldiçoado, desonrado, pois ninguém queimou incensos para ele, pois assim se honrava os reis que morriam naquela época, queimando caras ervas aromáticas em sua memória. Nem sequer foi sepultado com os reis de Judá. Foi uma vergonha para Judá. Morreu na obscuridade, foi-se sem deixar saudades. Assim sucede com todo aquele que desonra a Deus.