E TERMINA A ESCOLA DE OBREIROS


  Infelizmente, terminou a EBO de Recife, 2016, onde ocorreram tantas coisas, tantas bênçãos inesquecíveis.
Como esquecer as mensagens do pastor Juan Pablo,  e dos outros que falaram pouco ou muito.
Como esquecer os cantores, os instrumentistas, os corais que cantaram, como o Quarteto Gênesis, a banda do Templo Central, Eliã Oliveira, Canção e Louvor, e outros.
Como esquecer os irmãos que oraram nas quarta-feiras de oração, da mocidade, das campanhas evangelizadoras, dos círculos de oração, das madrugadas nas quais rogaram a Deus? Eles não aparecem para nós, mas para Deus. Uns ficaram sob os holofotes, muitos, nos bastidores.
Como esquecer as maravilhas operadas, tanto as que vimos, como as que não vimos. Cada livramento, cada ensinamento, cada erro, cada tentativa, cada acerto. Tantas pessoas envolvidas, mais de 500, e todas voluntárias, dormindo pouco, planejando muito, comendo pouco, trabalhando muito...
Como esquecer as expectativas dos obreiros, de suas esposas, das viagens que fizeram, do aniversário do pastor Aílton, das autoridades presentes, dos elogios à igreja de Pernambuco, da organização do evento, das mensagens bem formuladas do pastor Juan Carlos, precisando pensar para entender.
Os irmãos lá de dentro, os de lá de fora, os que falaram no púlpito e os que “apenas” ensinaram. Todos eles contribuíram em oração para que tudo corresse bem, tanto com os preletores, como com os que foram cultuar pela noite, e com os obreiros vindo de todas as partes do estado, enfrentando até oito horas de viagem. Não foi fácil para eles. Mas voltam satisfeitos, firmes, alegres com a missão renovada, com mais maturidade.
Tantos abençoados através da TV, pela transmissão do Youtube, Facebook, hastags, rádios, tudo contribuindo para a glória de Deus; por causa de uma promessa de décadas atrás, agora se cumprindo de maneira maravilhosa. Deus é Fiel. Nesse ponto, os pioneiros ficariam orgulhosos, por causa do fruto do trabalho deles, como Gunnar Vingren, Daniel Berg, Joel Carlson e Signey Carlson, esses últimos, por começarem o trabalho aqui, em 24 de outubro de 1918. Como esquecer? Não dá.
A EBO de Recife desse ano foi formidável mesmo. Como não pude ir, fiquei em casa. Mas valeu. Bebi cada palavra, cada mensagem via TV. Deus deixou-me satisfeito. Que venham outras. Estaremos prontos.