sábado, 15 de outubro de 2016

O PASTOR QUE EU QUERO TER



Seria bom se todo pastor fizesse isso. Eu quero um pastor assim. Um que se preocupe mais com as pessoas, do que com pedras; um que pense mais em aconselhar as ovelhas, do que esses que só pensam em administrar, em finanças, em saber das despesas. Meu pastor ideal seria assim.
As ovelhas não só querem luxo, lugares acochoados para cultuar. Não. Mais do que isso, elas querem amor, querem ser aconselhadas com carinho, com atenção, a mesma atenção que Jesus daria se estivesse pessalmente aqui. A mesma atenção de Paulo, ao escrever suas cartas ao coríntios, que quase não dormia, pensando na igreja, se magoou algum, se algum iria cair com a tentação de Satanás. Queria um pastor mais preocupado com a ovelha que está fraca, deprimida, afastada, que não tem uma roupa para vestir. Não quero um pastor que dê mais atenção às ovelhas mais gordas, com mais lã. Não quero esse pastor. Templos passam, ficarão aqui. Tudo será queimado no fogo. O galardão não será só para quem construiu templos, e templos, mais sim se a motivação foi o amor a Deus, à sua obra, aos irmãos. Quero um pastor assim.
Quero um que seja mais fácil conversar com ele; não uma conversa rápida, de dez minutos. Uma conversa de dez minutos é insuficiente para uma ovelha desabafar, ser tratada. Não é para ser assim. Um que não veja a igreja só como número. Isso não é importante. O número dos que se perdem é maior do que os que se salvam. Quero um que não olhe para o relógio o tempo todo quando tiver aconselhando. Um que seja atencioso, que veja que ali tem uma alma pela qual Cristo morreu, não um número. Quero um pastor assim.
Não quero um pastor que persiga quem ore por ele, mas que tenha a maior admiração e ame e ajude, e tenha amor por esse trabalho tão espinhoso. Não quero um que fique querendo mudar a forma da igreja se vestir, só por causa de audiência. Não quero assim. Quero um que pare, que observe a ovelha, que não mude as regras e costumes do passado, por causa da era digital.
Enfim, quero um pastor o tempo todo ortodoxo, que me veja como ovelha, e não como um móvel e um número para administrar.