domingo, 1 de janeiro de 2017

UMA PROVA DA EVOLUÇÃO




Numa tarde de dezembro, houve um furacão em uma determinada terra da Europa. Por onde o furacão passou havia várias toneladas de ferro, que, após a passagem desse furacão, ficou um boeing 747 no lugar onde estavam as várias toneladas de ferro. Era um Boeing azul, com tirma enorme as vermelhas. O curioso é que o Boeing estava com todos os assentos nele, e tanto a parte elétrica quanto os motores estavam todos lá.
No mesmo dia, esse mesmo furacão passou por uma floresta de eucaliptos; perto dessa floresta, havia uma fábrica de tintas. Após a passagem do furacão, no local ficou uma enorme biblioteca, com mais de cinco mil volumes! Entre as grandes obras, havia uma coleção da enciclopédia Barsa, a coleção de livros de Machado de Assis, todos os livros de Camus, Voltaire,Kant, e outros da literatura inglesa e literatura italiana e espanhola.
Foi um grande acontecimento. Todas as emissoras e TV’s do mundo todo se dirigiram para lá. Os cientistas estavam eufóricos. Era a prova que precisavam, iriam colocar no bolso todas as “teorias” dos criacionistas, finalmente Darwin iria vencer de uma vez por todas.
Todas as emissoras e jornais do mundo inteiro mostraram o Boeing 747 no lugar onde estavam as toneladas de ferro. Da mesma forma, mostraram onde outrara estava a floresta de eucalipto. As duas imagens eram impressionantes. Incrível como o acaso criou aquelas duas casas. Sem planejamento, sem nada. Era a prova da evolução de que os cientistas tanto buscavam. Qual elo perdido que nada! Era algo melhor que isso.
O professor universitário F. A. Loprado começou a estudar o fenômeno que criou isso. Começou-se então a acreditar que um furacão, e não uma ameba, deu origem à vida. O que eles não conseguiam explicar era de onde veio o furacão, quem criou os fenômenos naturais que originaram esse mesmo furacão. Que coisa impressionante!
Os Darwinistas começaram a erguer duas igrejas nesses mesmos lugares onde ocorreram essa mudança, e elegeram um sacerdote, que sacrificam duas vezes ao dia oferendas à imagem de Darwin de dez metros de altura por dois de largura. Era feita de madeira, e recoberta de chumbo.

E, assim, esse dia ficou sendo um dia único, jamais teve um dia assim desde a aparição de Papai Noel a trinta crianças numa creche de Sao Paulo, na madrugada do dia 25 de Dezembro. Ficou na história. Estava provada a evolução.